0
0
0
s2sdefault

Com o crescimento da cidade de Salvador e a concentração urbana cada vez maior, houve a necessidade de investimentos mariores no espaço público, com a implantação de infra-estruturas e de equipamentos urbanos, buscando atender a usuários com hábitos e costumes diferenciados. O Mobiliário Urbano é a coleção de artefatos implantados no espaço público da cidade, de natureza utilitária ou de interesse urbanístico, paisagístico, simbólico ou cultural, tais como, abrigos de parada de transporte público de passageiros, banca para comercialização de impressos, sanitários públicos, quiosques, totens, sinalização turísticas, relógios, protetores de árvores, lixeiras, dentre outros. 

A regulação dos contratos atribuídos à ARSAL visa dar cumprimento aos princípios da legadlidade e da obediências as leis e às normas que regem as licitações e os contratos pactuados com a municipalidade. A gestão dos contratos de Mobiliário Urbano é de responsabilidade da SEMOB, que tem a atribuição de fiscalizar a operação em campo. 

O município de Salvador objetivando a ordenação do solo e a regulamentação das propragandas, abriu a Concorrência Pública CP nº 01/99 da SEMPI, firmando contrato com os Consórcios CEMUSA do Brasil e JCDECAUX Salvador em 30/05/2000 por um período de 20 anos. 

O serviço de Mobiliário Urbano foi dividido em duas áreas: 

ARÉA 01 administrada pela JC DECOUX que engloba as seguintes localidades:

Compreende da Orla Marítima até Itapuã, Ladeira da Barra, Campo Grande, Av. Luiz Viana Filho – Paralela, Av. Antônio Carlos Magalhães e Av. Garibaldi. 

ARÉA 02 administrada pela CEMUSA e que corresponde as seguintes localidade:

Nazaré, Tororó, Barris, Politeama, Campo Grande, Aflitos, Largo 2 de Julho, Avenida Sete de Setembro, Carlos Gomes, Praça da Sé, Pelourinho, Baixa do Sapateiro, Santo Antônio, Barbalho, Soledade, Joaquim, Comércio, Garcia, Fazenda Garcia, Bomfim, Ribeira, Massaranduba, Uruguai, Calçada, bairros denominados de CENTRO.

 

 

0
0
0
s2sdefault